O Rappa /

A Feira

É dia de feira
Quarta-feira, sexta-feira
Não importa a feira
É dia de feira
Quem quiser pode chegar

Vem maluco, vem madame
Vem maurício, vem atriz
Pra comprar comigo

Vem maluco, vem madame
Vem maurício, vem atriz
Pra levar comigo

Tô vendendo ervas
Que curam e acalmam
Tô vendendo ervas
Que aliviam e temperam

Mas eu não sou autorizado
Quando o rappa chega
Eu quase sempre escapo
Quem me fornece
É que ganha mais
A clientela é vasta, eu sei
Porque os remédios normais
Nem sempre amenizam a pressão
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão